06 agosto 2007

"Umas mamas custam um carro em segunda mão"


Pode parecer uma anedota, mas antes pelo contrario, é um entrevista do cirurgião plástico Francisco Campos, ao JN. Leia na integra.

Foi acusado, através de um blog, de operar sob efeito de álcool e drogas. Há fumo ou fogo nesta acusação?

Não é uma denúncia, é uma calúnia anónima. Quem faz aquilo não está bem da cabeça.

A calúnia está on-line há um ano. Tinha conhecimento?

Já muita gente sabia, menos eu. As expectativas das pessoas devem ser moderadas, mas há quem queira o mundo. Paciência. Em cirurgia plástica não há mundos, há realidades.

Vai apresentar queixa?

Já apresentei. À PJ e à Procuradoria. Se a indemnização brutal for conseguida, irei doá-la às crianças mutiladas em África.

Teme que este episódio persista como uma nódoa negra no seu currículo?

A única coisa que me incomoda é dizerem que sou 'mau colega'.

Está a insinuar que o blog pode ter origem em colegas seus cirurgiões?

Dizem que, em 1988, operava sem ser cirurgião plástico, quando sou especialista desde Julho desse ano. Haverá colegas meus envolvidos neste ataque? Espero que não...

É perigoso lidar com um paciente insatisfeito?

Não direi perigoso, mas é preciso fazer uma triagem muito boa.

As pessoas procuram algo que já foram no passado?

Sim, mas isso não é pecado.

Não há charme na idade?

Acho que sim. Aliás, a Jane Fonda está a fazer um filme sobre sexo aos 69 anos. Bom número!

Na praia, pensa no que poderia modificar nas pessoas?

Às vezes, vejo narizes enormes e tenho pena, porque sinto que as pessoas têm uma certa retracção. Como médico interessa-me a saúde das pessoas.

A beleza é um problema de saúde?

É difícil conceituar a beleza. Mas sim, talvez seja.

Um cirurgião é o que existe de mais próximo de Deus ?

É, embora a alma seja difícil de descobrir lá dentro.

Pedem-lhe milagres?

Nunca me pediram, mas faço-os.

O seu trabalho é a busca da perfeição?

Há essa busca, não exactamente da perfeição, mas daquilo que é razoável e bonito.

Não é subversiva essa ideia de que vamos sentir-nos tanto melhores quanto mais bonitos formos?

Não é errado pensar nisso. Há é limites...

Ainda são as mulheres que o procuram mais?

Hoje há já um equilíbrio grande. Tenho, pelo menos, 40% de pacientes homens.

O que é que lhe pedem mais?

Os homens não põem mamas, tiram. Até na praia se sentem mal, não tiram a t-shirt.

O que é que custa mais a uma mulher a flacidez do peito ou as rugas da cara?

As mamas são o símbolo da feminilidade, portanto é a grande preocupação estética delas. Não podemos deixar uma miúda de 16 anos sem mamas, não podemos deixar que a melhor fase da vida de uma pessoa seja passada a sofrer.

Mas é contra a cirurgia estética nos adolescentes. Abre excepção para esses casos?

Totalmente contra, mas entendo que é bom fazer aumento mamário quando não há mamas, porque não se justifica toda aquela perturbação de inserção social que se gera à volta disso. Bolas, dez mil euros resolve isso.

É esse o preço?

Mais ou menos. É um carro em segunda mão.

Não aceita pagamentos em leasing. Porquê?

A única facilidade que dou é poder pagar em moedas. Um doente pagou-me 20 mil euros em moedas de dois euros.

Gostava de ser parecido com quem?

É evidente que gostava de ser o Brad Pitt ou os meus amigos indianos, que são lindérrimos.

Acha mesmo que é o melhor na sua área?

Acho, e não só o melhor aqui do burgo.

Metrossexual assumido, foi ao cabeleireiro, à depilação e ao alfaiate antes de chegar à Praia da Luz, local combinado para a entrevista. Francisco Campos, cirurgião plástico dividido entre o Estoril e o Porto, debate-se com uma calúnia anónima que se tornou pública, mas não perde auto-estima. "Sou o melhor", confessa em 35 minutos de conversa. Versão integral.

Se tiver necessidade de recorrer aos seus serviços, esta devidamente informado.

Saudações Paulenses

7 Rebolos:

Vizinha disse...

Decidi dar uma escapadela nas minhas férias para passar por aqui e fui completamente bombardeada com informação recente. De um modo geral tenho a comentar o seguinte:
António Lopes esse grande investidor regional, nascido em Sobral de são Miguel(salvo erro) já há mto que prometia obras na antiga garagem de S. João e finalmente aí estão elas.

Quanto aos artistas Paulenses que fizeram sucesso em Casegas os meus Parabéns. Espero ve-los brevemente ao vivo e espero "apaixonar-me" por eles do mm modo que me apaixonei pelos Tok'avakalhar depois de os ver ao vivo!!

Vou regressar ás férias e quem sabe lutar contra uns "mouros" e conquistar mais kk coisa para Portugal!!!

Saudações Cordiais,

Vizinha

9/8/07 13:29
Paul Terra de Tradições disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue. 13/8/07 06:50
PTT disse...

Boas vizinha

Pelos vistos as ferias estão a correr bem. O Sr António Lopes é natural de Unhais e depois desta obra vamos esperar pelo campo de golfe e hotel?? no Ourondinho.

Pelo menos uma coisa temos de boa no Paul, sabemos dar musica...

Boa continuação de férias

13/8/07 06:53
Vizinha disse...

Obrigado pelo esclareciemento em relação ao Sr. António Lopes. De facto já confirmei q ele apenas viveu alguns anos em Sobral de S. Miguel mas tb tem ajudado aquela aldeia. Em que ajuda mais recente foi a oferta de parte das obras da igreja paroquial.

Parece-me q para além de Homem de negócios é tb um homem que n esquece as suas origens e aqueles q o ajudaram em outros tempos!

13/8/07 21:28
Perifano disse...

Pela conversa "lustrosa" que aqui vai, o sr. António Lopes, deve ser uma jóia de pessoa, dá tudo á sua terra,á Covilhã e arredores.
Sempre com grande promoção e alarido.
"Quando a fartura é muita o pobre desconfia", diz-me a experiência que há prendas que nos ficam muito caras!

21/8/07 16:00
PTT disse...

Perifano

Pessoalmente não conheço nem tenho qualquer tipo de juízo de valores sobre o Sr.

Em Unhais tem contribuído financeiramente para associações e outras obras.

No Paul e devido, creio eu, a uma clausula de direito sobre a ribeira foi obrigado a comprar a truticultura para poder construir no Ourondinho o que pretende.

Como empresário e investidor se criar emprego e contribuir para o bem da comunidade óptimo embora também não vá de forma alguma esquecer o retorno financeiro dos investimentos.

Fico a aguardar

21/8/07 19:59
Anónimo disse...

Este gajo para paneleiro só lhe faltam as penas

Enterrado mor

26/1/13 16:41