23 janeiro 2008

Temos Casino ou não?

Covilhã continua à espera do Casino

" Há quatro anos que Carlos Pinto, Presidente da Câmara Municipal da Covilhã (PSD) defende a criação de uma zona de jogo como "atracção e fonte de receitas" para investimentos, por exemplo, na área turística ou actividades sociais.

Ontem, o autarca, lamentou que o projecto para abrir um casino na cidade continue sem autorização do Governo, mas entretanto abram outros, como o de Chaves, no último sábado.

Segundo Carlos Pinto, "o Governo não pode dedicar-se só a Tróia, Algarve ou outras zonas. Tem que perceber que há municípios desta região do interior com o trabalho de casa feito". "Não vou deixar cair este assunto, embora custe suportar o silêncio de indiferença em relação aos problemas do interior", acrescentou." in Kaminhos

Nota Pessoal: Sinceramente ainda não formei uma opinião consistente sobre o casino. Deixo-lhe um desafio comente esta ideia para o nosso Concelho, deixe aqui registados os seus argumentos. Obrigada!

Saudações Cordiais,

Vizinha

2 Rebolos:

Farto de ir a Espanha disse...

Mais importante que o Casino, era a legalização das casas de alterne, a criação de bordeis com qualidade. Assim evitava-se a ida de muitos a Espanha, onde deixam muito dinheiro, sem contar com as viagens, jantares, etc.

24/1/08 11:00
Zé povinho disse...

Só um Casino, e na Covilhã, acho que é pouco.
Iria haver grande discussão com os nomes e os lugares da gerência, as "posições" e a distribuição dos lucros.
Mas um Casino em cada freguesia concordo, talvez seja a única forma dos políticos cumprirem tantas promessas eleitorais.
A idéia antiga de que o Casino era um antro de perdição e desgraça, acabou!! agora é a bóia de salvação dos autarcas afogados em promessas e com falta de idéias e dinheiro.
Mas com muita, muita imaginação.
Com o desemprego, ordenados baixos, o nível de vida, que existe na Região, os grandes frequentadores serão os "fumadores".

24/1/08 11:34