09 abril 2008

E porque e a todos diz respeito...


Esta semana como artigo de folheto, temos água!
A nossa e a dos outros!
"A Assembleia Municipal de 4 de Abril é histórica porque consagra as decisões mais ruinosas para o Concelho.

É talvez a Assembleia que irá marcar a derrota do PSD e de carlos pinto nas próximas eleições autárquicas.

Ninguém vai perdoar que o PSD e o actual presidente da câmara utilizando uma maioria absoluta venda o património mais valioso do Concelho - a água - essencial à vida,à saúde individual e pública e ao bem estar das populações.

Na cidade da Covilhã ninguém vai perdoar que entregue o Mercado Municipal a particulares deixando de ter a sua função social, de mais de 60 anos.

Na cidade ninguém vai perdoar a venda do Campo das Festas deitando por terra a possibilidade daquele espaço ser utilizado pela sua população, dando- lhe uma função mais humanizada.

Ninguém vai perdoar que se estabeleçam isenções e doações a grupos económicos que só visam o lucro e nenhuma função social.

Os presidentes da Junta de freguesia, do PSD ou apoiados por este partido, também votaram favoravelmente àquelas medidas.

Também eles estiveram de acordo com a venda da água sabendo que estavam a entregar o património de cada freguesia a uma empresa privada. Vão penalizar as pessoas, nos próximos anos, na factura da água.

Por esse motivo, aqui ficam e se registam, as opiniões dos eleitos da CDU para memória futura."

(in blog Vitor Reis Silva)

Quais manifestações paulenses!

4 Rebolos:

Conde disse...

eu fui um dos que subscrevi a venda das águas,agora pergunto? as águas e outros serviços públicos,também não são uma maquina de fazer dinheiro? para os governantes irem buscar dinheiro quando precisam? assim qualquer um governa? acaba-se a mama!o privado é para gerir riquezas e o estado fiscalizar, que é coisa que nunca fez. é minha opinião

9/4/08 10:07
Anónimo disse...

O privado gere riquezas? Então a riqueza/património público deve estar sugeito à lógica do lucro (objectivo primeiro da gestão privada)em vez de estar ao serviço do bem público? A água tem uma especificidade diferente de outros recursos naturais (petróleo,ouro, prata, madeiras, etc...) por ser essencial à vida.Privados ou públicos, aqueles recursos, são adquiridos ou não,dependendo da capacidade económica de cada um. Fica-se mais rico ou continua-se pobre. Porém, a água, quer se tenha ou não dinheiro,é fundamental para a vida, para a saúde individual e pública.
Por outro lado, quem instalou as redes de água ao longo de dezenas de anos? Quem criou essa riqueza de fazer chegar às torneiras de cada habitação o líquido precioso?
Quem investiu e pagou tais infraestruturas foram as populações. Quem irá beneficiar da existência de tal investimento? O privado que não criou riqueza mas que a vai gerir e retirar dela, como é óbvio, os seus dividendos. Assim, é fácil fazer dinheiro.

9/4/08 11:31
Anónimo disse...

Sendo um bem essencial e fazendo parte do património público a água nunca deveria ser privatizada, não tem lógica pois é fundamental!!!!
Relativamente ao campo das festas e mercado municipal ainda não percebi o que a autarquia pretende. Pretende angariar dinheiro e com esse objectivo acaba com tradições enraizadas na cidade? Quem não se lembra de ir à praça, começar no rés-do-chão (que passou a estacionamento) com as bancas da fruta, queijo, hortaliça ir para os pisos superiores passar pela charcutaria e terminar nas bancas do vestuário??? E aos sábados ir ao campo das festas fazer as compras???
A autarquia tem que estabelecer como prioridade o bem-estar da população e não só a questão monetária.
E é assim que pretendem votos?????

saudações paulenses
Paulense atento

9/4/08 11:56
José disse...

Cada vez mais fico com a idéia, que este polémico tema da venda das águas, tem tido mais aproveitamento politíco que informativo.
Infelizmente "o coiso público" tem servido apenas para servir os interesses dos nossos políticos regionais, por isso têm tanto medo por perder mais um local de "emprego".

10/4/08 00:15

10/4/08 09:03