06 janeiro 2009

Em Paul Covilhã ser criança têm estas memos valias

Arredado destas “lides” cibernautas a longo tempo, foi com grande estupefacção que me apercebi da intervenção do Prof. Vítor Reis Silva e passo a citar:

“Assembleia Municipal de 12 de Dezembro. Tema da Intervenção " Pavilhão Desportivo Municipal" e "Projecto de Hipoterapia"

COLIGAÇÃO DEMOCRÁTICA UNITÁRIA

1 – Período Antes da Ordem do Dia

Exmo Senhor Presidente

Exmo Senhores Deputados Municipais

Nesta curta intervenção queria chamar a atenção da Câmara Municipal para duas situações:

Primeira – Para o facto de o único Pavilhão Municipal, propriedade da Câmara, localizado na freguesia do Paul, em terreno cedido pelo Ministério de Educação se encontrar a em degradação progressiva.

Mal construído, com materiais e equipamentos de duvidosa qualidade, tem a sua cobertura, em placas de lusolite (material com amianto), degradada pela deficiente instalação, pelo tempo e pelas intempéries.

Uma das últimas tempestades levantou mais duas placas provocando mais infiltração de água.

A situação actual não pode manter-se

Passados 8 anos do abandono da Câmara Municipal da gestão daquele equipamento e apesar dos ofícios da Direcção Executiva da EB 2,3 Ciclos, nada é feito para se concretizarem correcções às obras iniciais nem nada é feito para uma manutenção das suas redes de água, sanitárias e de aquecimento, equipamentos, piso e cobertura…”

Por seu lado A Rádio clube Cova da Beira diz:

“PAVILHÃO PODE ENCERRAR

O pavilhão da escola EB 2/3 do Paúl pode vir a encerrar portas. A denúncia foi feita por Vitor Reis Silva da CDU na última reunião da assembleia municipal da Covilhã.

A infra-estrutura encontra-se em estado de degradação e até à data nem a câmara municipal nem o ministério da educação se mostraram disponíveis para realizar as obras necessárias: “é um edifício mal construído, com material de condições duvidosas e com a cobertura em placas de lusolite, com amianto degradada quer pelo tempo quer pelas intempéries. As obras são necessárias mas a câmara não executa e o ministério da educação afirma que não realiza obras em edifícios de propriedade alheia.”

O pavilhão é propriedade da autarquia mas a sua gestão e manutenção está a ser pelos órgãos de gestão da escola.

Face ao estado de degradação, Victor Reis Silva considera que a autarquia só pode seguir um de dois caminhos: “ A CMC tem de decidir o que fazer. Assume a propriedade do edifício e faz a obra, ou então pode doa-lo ao ministério da educação para este realizar as obras. Espero que a decisão seja rápida, para o pavilhão não ter de encerrar por falta de condições.”…

Enfim, perante um quadro tão patético penso que a medida é adequada e exemplar para com o índice de utentes do referido PAVILHÃO. Neste contexto e para alicerçar o meu pensamento decidi ir ao Site oficial da C M Covilhã buscar estes elementos:

Jardim-de-infância de Paul (EB1/JI)

Nível: Pré – Escolar - Nº de Alunos: 13 [2007/2008] - Localização: Paul

Escola Básica do 1º ciclo de Paul (EB1/JI) - Nº de Alunos: 53 [2007/2008]

Localização: Paul

REDE ESCOLAR ENSINO BÁSICO 2º E 3º CICLOS E SECUNDÁRIAS - EM ACTUALIZAÇÃO

CENTRO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA NOSSA SENHORA DAS DORES

- Creche - 27; - Jardim de Infância - 26; - ATL - 29;

Isto implica dizer que neste ano lectivo o Paul tem ate ao final do 1º Ciclo qualquer coisa como 148 “garotos” inscritos no Ministério da Educação, Residentes no Paul e confirmados pelos Serviços Camarários. Falta aqui adicionar o numero de alunos residente e inerente a REDE ESCOLAR ENSINO BÁSICO 2º E 3º CICLOS E SECUNDÁRIAS que se encontra em Actualização no referido site e certamente o trabalho é muito para 3 meses após o inicio do ano escolar ainda se manter nesta situação. Devo depreender que o nr de alunos deve ser elevado.

Posto isto conclui que o nosso “Burgo” peca por “falta de canalha” em comparação com as freguesias vizinhas onde em alguns casos já se atribuem “rebuçados financeiros” como aliciamento a procriação. Mais ainda, a nossa canalha sendo em tão grande numero é um “alvo” a abater pois destoa infelizmente na desertificação cada vez mais real deste Concelho.

Há ainda a acrescentar a estes números, os utentes que pagam para a utilização do pavilhão para a pratica desportiva em virtude dos inúmeros centros comerciais, cinemas, teatros e afins se encontrarem encerrados por falta de licenciamento.

É CASO PARA DIZER VÃO “BRINCAR” COM O “TOTTA” (para ser simpático).

POR ULTIMO E O MAIS GRAVE

“ A segunda situação é a de lamentar que a Câmara Municipal não tenha disponibilidade financeira, cerca de 1.000 €/ano, para apoiar a deslocação, pagando o transporte de 6 crianças multideficientes, 4 do 1º Ciclo e 2 do 2º e 3º Ciclos, a sessões de hipoterapia, actividade considerada útil e potenciadora de aquisições de competências motoras e relacionais por parte de crianças multideficientes.

É constrangedor e triste que a autarquia não tenha disponibilidade financeira para possibilitar aquela actividade às crianças.

Afinal de contas ou a situação financeira é mais grave do que eu pensava ou a insensibilidade desta Câmara é do tamanho do mundo e do universo.”…

Ao que chega a insensibilidade humana. Vou ter o cuidado para saber (e se for possível alguém poder ajudar-me neste assunto agradeço), quais os valores monetários atribuídos como donativos as instituições ou associações ditas de interesse publico, cujo única actividade conhecida é de taberna e no campo do desporto se traduz “entre a elevação de umas minis a inalação de uns SG'S ou afins e o lançamento batido de umas cartas.”

O pavilhão não tem areia e não faz ondas, não é aéreo e a grande maioria dos utilizadores não vota, logo por consequência é descartável.

Nota: È bem verdade o nosso "BURGO" situa-se na zona Sul do Concelho.Vou voltar como prometido.


1 Rebolos:

luantes disse...

Depois do nosso colega e amigo António Assunção da Voz do Goulinho me ter apresentado a sujestão de um encontro convivio de todos os bloguistas da nossa região, quero dizer vos que estou aberto a propostas.
Deixem a vossa opinião nos comentarios do meu Blog, pois eu acho que a ideia tem pernas para andar
um Abraço
Luantes

8/1/09 14:30