26 outubro 2006

IMPACTO DO HOTEL DAS TERMAS DE UNHAIS

Informação util e esclarecimento sobre este post.
Em datas oportunas solicitei, (via e-mail), junto da empresa gestora do Hotel das Termas de Unhais, qualquer tipo de informação inerente as diversas acções de formação que irão ocorrer. Por motivos que obviamente respeito não me foi dada qualquer resposta. Neste contexto ontem informei a Entidade proprietária que iria publicar os seus contactos afim de facilitar a informação a quem possivelmente possa interessar.
Os meus maiores desejos de felicidades ao projecto.

Quanto a intervenção neste “debate” e dada a importância do mesmo, estou seriamente desiludido.
Mais uma vez, quando confrontados com algo real, fechamo-nos em “copas” e passamos a comentadores de “esplanada”.

Um abraço.

IMB Hotéis
Apartado 3716201-909 CovilhãPortugal
Telf: (+351) 275 330 405 Fax: (+351) 275 330 440
O FUTURO ESTÁ A CHEGAR
Numa não longínqua Quarta-Feira, 12 de Julho de 2006 e escrito por Luis Fonseca sob o título "Complexo de 12,5 milhões abre em 2007", podíamos ler no Diário XXI o seguinte extracto:
A população da vila de Unhais da Serra vai ser alvo de acções de formação que a vão preparar para a abertura do novo complexo hoteleiro termal e de lar, no próximo ano. “A formação vai abranger várias áreas”, explica Luís Veiga, responsável pela Sociedade Termal de Unhais da Serra, que anunciou a iniciativa ao Diário XXI. Vão ser explicadas “quais as novas oportunidades de negócio, seja no pequeno comércio, serviços ou artesanato”. O novo enquadramento urbanístico e de ordenamento da vila de Unhais vai também estar no centro das atenções. “Vai haver um regulamento urbano que terá de cumprido para as novas construções”, destaca Luís Veiga. A ideia é ter uma vila com uma imagem agradável, sendo que a beleza passa pelos imóveis.
Associações, autarcas e líderes de opinião estão entre os grupos alvo da formação, sobretudo no capítulo referente “à forma como se gerem vilas termais e como a animação deve ser feita”.
As acções serão ministradas por formadores com experiência internacional e seguem exemplos do que de melhor já foi feito “em Espanha e França”. “Não basta criar um empreendimento que vai revolucionar a vila. É preciso saber como fazê-lo, o que deve acontecer em Unhais quando abrir portas e ver o que já foi feito noutros sítios”, explica Luís Veiga.
Para além da vila, responsável abrange também na iniciativa as freguesias circundantes e a população do Paul, Ourondo e Cortes do Meio que “vão ter também uma relação directa com o investimento”. “Temos tido bons contributos, por exemplo, da associação ADERES, que para além da boa vontade no processo, tem um conhecimento no terreno sobre o artesanato e as boas praticas locais”, realça Luís Veiga. “Isto para além da Câmara da Covilhã e Junta de Unhais, que já mostraram que estão de corpo e alma neste projecto”.
As acções de formação devem decorrer no início de 2007, ao abrigo da Acção Integrada de Base Territorial (AIBT) da Serra da Estrela. “São acções piloto inéditas em Portugal”, garante...

Após a leitura ATENTA deste texto ficamos elucidados quanto aos seguintes pontos:

1 - Os responsáveis “não brincam em serviço” e de uma forma idónea e extremamente responsável assumem que o contributo da população é indispensável para o êxito do seu projecto, disponibilizando formação em todas as áreas a toda a comunidade.
2 - Não só se preocuparam com a Vila de Unhais, como pretendem alargar essa formação as freguesias vizinhas e que obviamente podem e devem usufruir desta mais valia.
3 - A cultura, o artesanato, o folclore, as belezas naturais do Paul colocam-nos obrigatoriamente numa posição privilegiada para usufruirmos deste investimento.
Em virtude do Inicio do Ano estar a cerca de 60 dias, não será a altura deste assunto, talvez dos mais importantes do momento começar a ser tratado atempadamente e não ficar na gaveta no quente do Inverno e quando chegar o Verão é tarde, “Inês morreu” e o futuro esta já em férias termais.

Alem de um artigo do Prof. Vítor Reis Silva levantando o problema da abertura da estrada Paul/Erada/Unhais, não conheço mais qualquer outra informação.

Assim lanço o seguinte desafio:
1 Se alguém, alguma instituição ou outrem tem conhecimento de algo pode elucidar-nos?
2 Que ideias ou pretensões devemos nós Paulenses ter perante tais factos?
3 Não acham que é o momento de toda a comunidade pensar em uníssono e saber realmente tirar partido desta mais valia deixando todas as “tricas e dicas”, ou deixamos que estas nos empurrem para a passividade e deixar um qualquer “bem intencionado” decidir por nós?
4 Sera possível que as autarquias vizinhas se empenham em conjunto neste projecto?

Vamos reflectir e ser criativos, imperando a responsabilidade e analisar o impacto deste investimento no Paul e como a comunidade deve aproveitar e tem para oferecer ao mesmo.

Ao abordar este assunto é imperioso que todos os que o lerem tenham plena consciência que em instancia alguma tenho qualquer tipo de segunda intenção, apenas e tão só sensibilizar a Comunidade Paulense para o tema.

Saudações Paulenses

PS – Podem e devem ainda visitar http://unhais.blogspot.com/ e questionar Unhais directamente alem de participarem neste blogue.

13 Rebolos:

Anónimo disse...

Finalmente um assunto muito serio e que ainda se vai a tempo de se discutir. Vamos responsaveis do Paul são horas de comecar a discutir isto.
muito bem, parabens

26/10/06 16:03
cabeça disse...

Este investimento é bom para o desenvolvimento, essencialmente de Unhais da Serra. No entanto espero que as restantes localidades a jusante, não tenham apenas direito a receber "os custos", deste Complexo Termal.

26/10/06 17:28
Turista disse...

Não estou a ver ninguém à frente da JF com capacidade para lidar com um assunto desta envergadura o que é pena...
O povo escolhe, o povo tem.

27/10/06 00:03
carlospuebla disse...

Bem vindo (novamente) ao nosso convivio. Unhais da Serra e Paul, uma ligação muito própria para o nosso amigo, merecem uma maior aproximação.De facto, em www.paulvitorreissilva.blogspot.comtenho encontrado a visão de futuro do Paul. A sua ligação à Erada, Unhais da Serra e à Serra da Estrela.
Já nos anos quarenta/cinquenta existiam no Paul responsáveis que eram defensores da criação de um teleférico (entre o Paul e a Serra da Estrela, passando por unhais da Serra) pela margem da ribeira e pelo vale glaciar de Unhais.
Neste momento concordo com o lançamento da ideia da via Paul, Erada, Unhais da Serra como via estruturante do crescimento/desenvolvimento das três freguesias. O Prof. Vitor tem a visão do desenvolvimento futuro. É pena que não seja acompanhado pela maioria da Assembleia e Junta de Freguesia.

27/10/06 00:58
PTT disse...

Um ponto de situação

Nos anos 40 e 50, os Paulenses que trabalhavam na Penteadora ou no Santos Marques, diariamente vinham a PÈ ou bicicleta (os que a tinham) até a quinta da Várzea e depois por atalhos até as Taliscas e no dia seguinte faziam o percurso inverso, tudo isto para TRABALHAR. Felizmente alguns ainda são vivos para contar estes factos.
O teleférico é uma utopia pois as condições atmosféricas não permitem a sua construção.
Contudo creio que apenas estamos preocupados com a estrada. Na minha opinião é importante, mas neste momento mais importante seria criar possíveis interesses (aproveitando os já existentes, mesmo que estes tenham que se adaptar a nova conjectura, caso da restauração, limpeza dos locais turísticos etc…), que atraíssem ao Paul toda uma série de turismo COM PODER ECONOMICO, que não será sazonal e que será uma realidade.
Nos comentários até agora, a Junta de Freguesia esta sempre presente, porem e embora tenha e deva ter uma participação activa no processo, principalmente em criar infra estruturas, pode ser um óptimo instrumento para apoiar e complementar as iniciativas privadas.
Nós Paulenses não somos pessoas de iniciativa?
Não temos vontade própria?
Onde estão os objectivos e aspirações da nova geração de Paulenses?
Creio que estamos a andar ao contrário, isto é, aguardamos que a Junta faça depois criticamos e continuamos inertes. Na minha experiência de vida o inverso tem sido o mais correcto. Projectamos, idealizamos e pomos em execução e as entidades que ao tomarem conhecimento da mais valia do mesmo, só terão que colaborar e disponibilizar-se para a sua realização. Caso contrario então ai é grave e devem ser responsabilizados, mas perante situações concretas.
Não esqueçam que falamos de um grupo privado que pode negociar com quem quiser e acima de tudo tem todo o interesse em que o projecto tenha sucesso.

Vamos ser audazes e empreendedores.

Um abraço

27/10/06 10:18
A.Garret disse...

Concordo com o "Paul terra de tradições".
CarlosPuebla, passas o tempo a fazer publicidade!! ou será que....

27/10/06 11:06
cabeça... disse...

O Paúl tem necessidade de melhorar as suas vias de comunicação.
Era mais importante, ter acessos mais fáceis para a A23 e para Coimbra.
O Paúl tem de saber aproveitar o que tem de bom, é uma das vilas com melhor qualidade de vida, no Distrito,tem beleza natural,é bonito e tem muita gente nova residente e muita gente que o visita.
No entanto não tem aproveitado alguns dos seus "dons".
È necessário melhorar os acessos e a informação sobre a nossa terra.
Quem quer visitar o Paúl, ao sair da A23,não encontra muita informação.
O Paúl precisa, de ter mais ambição, não é com os investimentos em Unhais, ou com estradas para o Unhais.
Posso estar a ser egoísta, mas
o Paúl tem que pensar mais nele.

27/10/06 11:54
PTT disse...

Para cabeça.
Obviamente que os investimentos a que me refiro no "ponto de situação" devem ser feitos no Paul, porem devemos saber canalizar o turismo que Unhais ira adquirir e "transporta-lo" até ao Paul atraves das mais diversas formas.
A sinaletica, as vias de comunicação sera obrigatoriamente um assunto ao qual a Junta deve e certamente estará atenta.
"NUMERO 1" Paul.

27/10/06 12:11
Chapeleta disse...

E porque não fazer um empreendimento do género no Paúl, possivelmente financiado através do novo quadro comunitário? E poderia nem passar por um mamarracho dum hotel. Já viram a pousada do Piódão?
Há muita falta de tacto por parte das nossas gentes mais empreendedoras na área do turismo, vejamos os ricos establecimentos que temos...exeptuando a prazeres, os restantes não se parecem com nada, é são meros caixotes decorados com péssimo gosto...
Se o nosso potêncial, é a tipicidade da terra e as suas tradições, penso que anda toda a gente a remar ao contrário.

O que o "cabeça" diz é um facto, há muito pouca sinalização com a indicação "Paúl>".
Antigamente aínda eramos conhecidos pelas trutas, mas hoje em dia toda a gente já sabe que não são criadas no viveiro e que vem tudo de espanha.Se é que aínda está aberto...sinceramente optei por deixar de gastar disso, parecem farinheira.

27/10/06 13:06
Anónimo disse...

Quando e para dizer mal dajunta ou outras coisas não faltam comentadores agora que e uma coisa seria nem so uma ideia. Entao nao pensam ou e ressaca?
Deviamos junto do turismo da covilhã promover mais a nossa terra. Mas decerteza que ha gente mais educada para falar sobre isto. vamos ver.

30/10/06 15:21
Vitor Reis Silva disse...

Para dizer o que disse não necessitava de entrar como anónimo. Também pouco adiantou à questão. Ir à Comissão de Turismo? Pois claro.E no Paul, quem tem que fazer os desdobráveis de promoção da nossa ribeira, pouco promovida,? Quem tem que manter a Fonte de Concelho com o seu moínho e forno? Quem tem que manter e divulgar o parque de merendas e o espelho de água na árvore bonita? Quem tem que promover a gastronomia paulense, as festas e tradições? Quem? Quem? O mero cidadão? As colectividades ? (e algumas já o fazem sem nada receberem em troca).
Mas..vamos continuar a reflectir e a dar o nosso contributo, da forma possível, mas sem "anónimos", porque só confunde o aparecimento de 1,2,3 ou mais anónimos. Utilizem um nickname ou o nome próprio.Não custa nada e ajuda à discussão

1/11/06 18:53
Sr. Prof. disse...

Só uma mente muito inteligente se lembra de colocar "Um parque de Merendas", junto á estrada com mais movimento no Paúl.
Seria para aproveitar a sombra da Àrvore??

2/11/06 09:08
Vitor Reis Silva disse...

Também.Os parques de merendas servem para o viajante merendar e, por norma encontram-se junto das vias. Também os hà em espaços mais recatados, tipo Fonte do Concelho ou no Santuário. Uns não impedem os outros.Aproveitando a sombra das árvores? É evidente. Mas admito, sempre, que existem "outras inteligências", outras opiniões e outras perspectivas.Por cá, é o que temos.

6/11/06 18:51