12 julho 2007

Reflexões sobre o Burgo

Aliando motivos técnicos e ate certo ponto de uma forma ponderada, decidi fazer um interregno e uma reflexão sobre este blog.

As conclusões desta “clausura” irei dá-las nas próximas postagens. Para já e após consultar o Inforpaulense tenho os seguintes comentários:

Expandir a Vila mas com ponderação

“A secretária da Junta de Freguesia deitou alguma água na fervura opinando, “ ao criar-se a expansão, está-se também a desertificar as zonas antigas, veja-se o que está acontecer nas cidades mesmo do interior. Nesta conformidade, é preciso criar o meio-termo e reflectir-se sobre esta temática de forma ponderada”. Contrapôs Isabel Matias.”

NOTA: Não creio que tenha opinado, mas sim demonstrado uma visão profunda do conhecimento dos problemas do Paul e das possíveis “mais desgraças” que poderão advir no futuro caso não exista um planeamento adequado. Nota máxima para esta intervenção. A Sr.ª Secretaria não só gosta como se preocupa com o Paul. Parabéns.

Novo cemitério para 2008

“Já as obras do alargamento e de manutenção do cemitério suscitaram da oposição um pedido de esclarecimento por parte do executivo Paulense, “ quanto ás obras do alargamento o ponto de situação é o seguinte. Estamos na fase de legalizar os terrenos adquiridos, o processo é moroso. No fundamental importa referir que a aquisição dos terrenos está sinalizada pela Junta de Freguesia e simultaneamente enquanto se avança com o processo administrativo está a ultimar-se o projecto do cemitério”Esclareceu Leonor Cipriano, presidente da Junta de Freguesia do Paul.”

NOTA: Não vamos esquecer que em período eleitoral (praticamente á dois anos), foi feito um desbaste nestes terrenos que inclusive teve a intervenção de máquinas pesadas. Afinal os terrenos foram adquiridos ou estão apenas sinalizados??? Processo moroso??? Com todas as novas opções (SIMPLEX, LOJA DO CIDADÃO ETC ETC), o processo é moroso?

Mas a oposição não ficou satisfeita com o esclarecimento e pela voz dos autarcas da CDU e do PS, respectivamente Vítor Reis e Silva e António José Barata voltaram à carga, “ para já é necessário fazer a manutenção dos muros do cemitério existente. Temos de ter cuidado porque um dia destes cai um muro e depois cria-se um problema de todo o tamanho. Por outro lado se as obras do alargamento do cemitério demorarem muito pode-se correr o risco de atingir-se o limite da capacidade do existente”.
Na resposta Leonor Cipriano sossegou os presentes, “ quanto ás obras de manutenção é claro que este executivo está atento e vamos realiza-las em tempo útil para que não haja problemas, já quanto ao arranque das obras do novo cemitério, apesar deste processo de legalização demorar bastante tempo pensamos que em 2008 vão ter inicio, no que diz respeito á capacidade existente, fizemos um levantamento e temos 41 sepulturas vagas se tivermos em conta que em média registamos na freguesia de 20 a 25 óbitos por ano e ainda tendo em conta que, neste momento existe uma grande percentagem de sepulturas adquiridas pela população, resultando daqui a sua utilização pelos familiares logo que tenham cumprido o tempo necessário para o fazerem, portanto o limite da capacidade existente está longe de ser atingido”. Explicou a presidente do executivo local.”

NOTA: Cuidado com estas contas! Não esqueça que basta os três Ranchos Folclóricos assim como as equipes da Associação se deslocarem para fora do Paul e na mesma data, para haver cerca de 200 (Duzentos) Paulenses na estrada. Os acidentes acontecem e previnem-se. Infelizmente situações destas não são inéditas e devemos reflectir sobre as mesmas. Deus queira que a nossa Comunidade nunca tenha que viver este tipo de situação.

Desafio ou provocação

“Quem não escondia a sua satisfação era o padre António Carlos,”a força de um de povo e da sua fé tornou possível esta realização grandiosa, envolveu-se de uma forma total e deixa-me feliz e contente com este povo. Ao vivermos este momento mariano, fizemo-lo de uma forma intensa quer na Eucaristia, nas procissões ou mesmo no Cortejo Alegórico que apresentou quadros alusivos à vida da Nossa Senhora da vida cultural e do quotidiano deste povo. Foi um cortejo que a mim me admirou ou me provocou porque nele estava envolvido quase toda a população.

Neste contexto, o balanço é amplamente positivo, não sei se estou a desafiar o povo ou se neste momento povo é que está a desafiar a mim, ou seja, o Paul sempre teve em embrião a vontade, fé e o sonho da realização de à cinquenta anos. Ás vezes é preciso que consigamos despoletar isso. Nem sempre é fácil, da maneira que agora já é o povo a desafiar-me e estou com ele.” Garantiu o pároco da freguesia do Paul.”

NOTA: Parabéns Sr. Padre Carlos pelas varias iniciativas dos 50 Anos do Santuário. Como tem sido seu timbre a obra esta feita agora podem comentar. Ainda uma palavra a todos os Paulenses que uma vez mais disseram presente e tivemos festejos que só orgulham a Comunidade. O PAUL ESTA DE PARABÉNS. NOTA MÁXIMA.

José Marmelo e Silva

“Mais vale tarde do que nunca. Um dos nomes mais representativos do séc. XX da literatura portuguesa - José Marmelo e Silva, foi evocado na terra que o viu nascer. Uma homenagem simples, onde o canto e a palavra ajudaram a vila do Paul a fazer justiça a um dos seus filhos mais ilustres. A família anunciou a construção nesta vila de um Centro de Estudos, para divulgação da obra do escritor e a promoção da cultura.”

NOTA: FINALMENTE. NOTA MÁXIMA. Parabéns a Junta de Freguesia pela iniciativa.

IMPORTANTE: Esta intervenção pretende traduzir o pensamento e opinião de muitos Paulenses que se revêem nestas intervenções que são traduzidos pelos diversos e-mails que recebo. Jamais terão um cariz de comentador ou mero “opinador”. Que isto fique muito claro.

Saudações Paulenses

1 Rebolos:

J. disse...

Sempre que o povo do Paul, pôe de lado a politiquice "caseira" e a intriga, consegue unir-se, motiva-se e temos demonstrações como a da festa da Srª. das Dores.

13/7/07 09:31